Gaivotas… (Para Roberto Carlos)

Composição: Antônio Marcos – Mário Maranhão

Eu quando saio pelo mar afora

Faço de conta que já vou embora

Mas apenas fico nas mentiras

Que matam por momentos desventuras!

Tantas gaivotas rodeando o barco

Como crianças rodeando adultos

Gaivotas e crianças se misturam

E fazem do meu barco a minha cama

Meu corpo balança sobre as águas

E o olhar se afoga no meu pranto

É que eu bem distante lá da terra

Não compreendo gente que maltrata e erra

Minhas mágoas, tantas frustrações

Eu vou deixar neste mar, quando anoitecer

E lá em casa ninguém vai saber

Quando eu chegar, vou sorrir e adormecer

Quando eu paro o barco em águas mansas

Olho de repente pras alturas

E percebo em meio a nuvens brancas

Uma gaivota calma e solitária

Ela deve estar olhando o mundo

E tomando conta das pessoas

Esta gaivota é importante

É pena que ela fique tão distante

Eu perdido em tantos pensamentos

Me pergunto as vezes se ela sabe

Que o amor se perde por dinheiro

E o homem se destrói no mundo inteiro

Mas lá em casa

Ninguém vai saber

Quando eu chegar,

Vou sorrir e adormecer!!


  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: