De um lado a outro… o silêncio, a ausência, o desatino!

 Imagem_Ilya Repin, Sobre uma Ponte em Abramtsevo, 1879

 

A PONTE INVISÍVEL

Caminho sobre a lâmina fria do silêncio e da ausência
Fria ponte que me conduz além do abismo!
A lugar nenhum?!
Escorregadia, muito cuidado ao passar
Se cair, ninguém há de notar
Ninguém há de saber
Ninguém há de ouvir
Pregou-se-me a língua ao céu da boca
Na profundeza abissal, o caos!
Na profundeza abissal, a tenebrosa noite
Mas, do caos, também nasce a harmonia
Bálsamo consolador para aliviar a dor de tantos cortes
Alguns profundos, outros nem tantos
A travessia, por esta ponte invisível
Parece infinita e, quase impossível
Ponte de lamina fria, feita de silêncio e ausência
Silêncio
Puro ouro
Moeda de troca com o vigia de um olho
Misto de homem pirata
Meio monstro,
Meio fantasma
Que posta-se vigilante, do outro lado da ponte
Da ausência, porém…
Nada tenho a dizer!

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: